sexta-feira, 19 de outubro de 2007

A adoção do Wilson





Falar sobre o Wilson não é fácil, tampouco simples, mas vou tentar resumir ao máximo.
Tudo começou em Julho de 2006, quando eu vasculhava os sites de adoção à procura de uma companhia para o Totó, meu podlelata, também adotado, procurava uma cadelinha de porte pequeno, mas olhando os anúncios de adoção de um determinado site, me deparei com dois basset hound para adoção, um, muito bonito que havia sido encontrado na rua e estava para adoção, outro, muito magro, triste e que tinha 10 dias para achar um dono caso contrário seria sacrificado no Centro de Controle de Zoonoses, famoso CCZ.

Sempre adorei bassets e sempre sonhava em ter um, bom, ali estava a minha oportunidade, porém, qual escolher? antes de tudo pesquisei na internet sobre o padrão da raça, comportamento, a adaptação em apartamento, quanto à isso, tudo me pareceu simples, cão de temperamento dócil...não seria difícil.
De cara,me decidi pelo basset que estava no CCZ, liguei para a moça de contato, porém achava que ele já tinha sido doado, mas não, isso foi no final da tarde de uma sexta feira, combinei de na segunda bem cedo ir lá no canil busca- lo, fiquei o fim de semana inteiro pensando mil coisas, entre elas, o nome: Elvis, Tobias.....até que no domingo à tarde estava passando na Tv o filme náufrago,minha dúvida tinha acabado, pois o Thiago sugeriu que se chamasse Wilson, ou melhor, Wilsooooooonnnnnn!!
Na segunda feira, bem cedo nos encontramos com a moça do contato e fomos até o Canil Municipal de Canoas, chegando lá, entre muitos cachorros aprisionados, magros e famintos estava o Wilson, tão amedrontado e faminto quanto qualquer um daqueles pobres cães, quando ele saiu da jaulinha, me assustei com o tamanho e agressividade, não imaginei que fosse tão grande e tão estressadinho, pensei por 2 segundos se daria certo, mas enquanto eu pensava, o Thiago já estava assinando os papéis da adoção.
Ouvi duas versões parecidas sobre como o Wilson foi parar no Canil para ser sacrificado, uma é de que ele vivia com uma família, que tinha uma criança, um dia ele estava comendo e a criança colocou a mão na comida e ele abocanhou a mão da criança, diante disso, os pais chamaram o CCZ e mandaram levá-lo.
Outra versão é de que ele era um cão que vagava pelas ruas de Canoas, um dia, havia crianças jogando bola, por algum motivo, ele mordeu a bola e a criança junto, os vizinhos então, chamaram o CCZ, qual dessas histórias é verdadeira, eu não sei, só sei que até hoje ele tem traumas com guia, bola, crianças e estranhos, fico imaginado o que ele deve ter sofrido nas ruas, ao ser pego pelo CCZ e ao ficar no CCZ, e chego à conclusão de que é tudo muito injusto, os animais serem aprisionados e terem somente 7 dias para viver ou morrer, no caso do Wilson foram 10 dias, e nós, fomos no último dia, só de pensar que se não tivéssemos ido lá buscá-lo, no fim daquele 31/7/06 ele seria sacrificado, um ser inocente.. que não pediu pra nascer, sei que muitas pessoas foram até o canil para adotá-lo, mas desistiram ao conhecê-lo pessoalmente, provavelmente se desiludiram com a aparência e temperamento.
A rebeldia do Wilson já começou no carro antes de vir para a nova vida, ele se instalou no banco do motorista e não queria mais sair, qualquer movimento nosso pra tentar passá-lo para o banco traseiro ele rosnava e ameaçava morder, isso ainda no pátio do canil, ou seja, mais um motivo pra desistir, ainda havia tempo, mas a palavra desistir não existe pra nós, e depois, tudo foi resolvido com a ajudinha do tratador do Canil, que ‘carinhosamente” o arrastou para o banco traseiro.
A vinda dele para Porto Alegre foi tranqüila, ele não latiu, só estava apavorado e muito, mas muito fedorento, ao chegar em POA, ele desceu correndo do carro e foi dar uma voltinha, fazer as necessidades ao ar livre, sentindo o ventinho e o gosto da liberdade.
Depois de uma geral no pet, ele conheceu a nova casa, ou melhor, o novo apto,e o novo maninho, o primeiro encontro com o Totó foi traumático, os dois se pegaram numa briga feia, e assim foi durante quase um ano, até que um dia, criei coragem e larguei os dois juntos, daí pra frente, para minha grande surpresa, nunca mais se separaram, agora são grandes amigos, ou melhor, são unha e pata!
A palavra chave para lidar com o Wilson é paciência, muita paciência, pois graças aos maus tratos que sofreu anteriormente,hoje ele é um cão rebelde e dominador, principalmente em público, mas isso compensa pelo cão amável, querido e doce que é em casa, amabilidade essa conquistada com muito esforço e dedicação, pois tanto eu, quanto o Thiago, ainda temos no braço a marquinha da mordida que ele nos deu.
Mesmo diante de tanta rebeldia, nunca, em nenhum momento, nos passou pela cabeça em doá-lo, ou abandoná-lo..como muitos fazem, afinal, se tomasse uma atitude dessas, só iria aumentar o trauma, e não iria resolver nada, apenas o problema passaria adiante.
Atualmente ele é um cão mais tranquilo, ainda um pouco desconfiado, mas pouco lembra aquele cão furioso que adotamos em julho/2006, durante esse tempo, e até hoje, ainda recebo críticas, por ele ser um pouco estressadinho, ..mas não dou a mínima.. pois quem critica, não sabe o que é a troca de amor entre humanos e animais.
Posso dizer com todas as letras, que o Wilson mudou a minha vida, em tudo, me ensinou à ter mais paciência e responsabilidade, não que antes eu não tivesse, mas agora é tudo em dobro, fora as pessoas maravilhosas e queridas que conheci graças à ele.
O Wilson não tem pedigree, não veio de nenhum Canil conceituado, porém, pra nós isso não tem a mínima importância, o que realmente importa é que hoje ele é um cachorro muito amado, bem cuidado e amoroso, e rezo pra que um dia, todos os cães de Canis Municipais e de rua, tenham o mesmo destino e direito que ele teve : À vida e ao amor verdadeiro.


Wilson no CCZ - Aguardando adoção, pesava 15 KG - Julho/2006


Wilson - depois da geral no Pet, poucas horas depois de adotado - 31/7/2006

Wilson em seu 1º encontro de Bassets na Redenção - Outubro/2007

Wilson Noel - Dez/2006



Wilson de férias em Imbé/Rs - Janeiro/2007


Wilson e Totó -Encontro na Redenção - Setembro/2007

Wilson e Déia - Outubro 2007



4 comentários:

Roberto disse...

Estou com um grande problema.
Minha vizinha praticamente abandonou sua casa e nela uma cachorrinha que está sobrevivendo graças a comida e água que dou. Ela aparece uma ou duas vezes por mês para ver como está a casa, mas não dá nada para a pobre cachorrinha. Tentei achar alguém que a quisesse, então eu entraria e pegaria ela, é errado mas eu faria isso para ver parar o sofrimento desse animalzinho. Disseram-me para ligar para o canil municipal de Canoas, mas não tenho coragem, pois sei que dentro de poucos dias ela será sacrificada. O que fazer? Estou postando aqui pois ela parece muito com a raça Basset, não conheço bem e por isso não posso afirmar que seja. Gostaria muito que me dessem uma dica do que fazer. roberto.migliorini@hotmail.com

Logan disse...

Ai eu chorei... Q lindo gente!! Parabéns! Que Deus abençõe vcs e q tenham sempre essa boa vontade e determinação em todas as coisas.
O meu Logan tbm é BH, mas nós o compramos! Tbm sempre quis um! E o nosso tbm é bm rebelde e, o amor resolve td, sempre!! Um grande beijo a vcs, e lambeijocas ao Wilson! Ah, pro Totó tbm!!

Nana Hanami disse...

Linda história!! :D
Aproveito para divulgar:
amanhã o Canil Municipal de Canoas estará aberto para adoção das 9h às 17h. São 12 cães adultos, 18 filhotes e 11 gatos, todos desverminados, castrados e vacinados. Para adotar algum animal, deve-se ter mais de 18 anos, apresentar documento de identificação e comprovante de residência. Apareçam e divulguem! Vamos fazer com que nesse final de semana todos eles tenham um família \o/

Canil Municipal de Canoas
Av. Boqueirão
Mais informações: (51) 3472-7309

Priscila Coelho - Adote, Não Compre! disse...

Déia, que história LINDA!!!

Fiquei emocionada, eu tive uma história parecida com a tua e foi assim que entrei para esse mundo dos cães abandonados, depois de adotar um beagle que sofreu maus-tratos e brigava por comida (aqui explica mais).

Lindo, lindo, lindo! Parabéns!

Ah, e quem aí do blog quiser adotar bassets ou parecidinhos, hoje tem 4 para adoção aqui no blog!

Um beijo,

Priscila Coelho
Adote, Não Compre!